Posts tagged ‘televisão’

Principais características da publicidade eficaz

Muitos por aí afirmam ter a receita do sucesso para se fazer publicidade. Faça isso, faça aquilo, faça aquilo outro… Acho que não existe regra e sim trabalho, muito trabalho. Evidente que algumas dicas existem e se forem aplicadas podem ajudar – e muito – o resultado.

No mais, lembre-se…. O que caracteriza um grande profissional, seja publicitário ou não, é a constância da qualidade dos seus trabalhos.

1. Conquiste pessoas

Vender consiste em cativar o seu cliente, uma boa propaganda deve fazer com que o indivíduo leve sua atenção diretamente para o conteúdo apresentado fazendo com que em poucos segundos aquelas informações sejam processadas em sua mente.

2. Seja inteligente e criativo

Pode parecer clichê, mas é a pura verdade. Seja inteligente, faça com que seu possível clienteSINTA o que você quer passar. Quanto mais nos sentirmos “apegados” àquela situação, mais suscetíveis a aceitá-la nós ficaremos. Faça seu cliente se sentir parte do produto que esteja vendendo.

3. Fale alto

Não, não estou dizendo pra você gritar no ouvido do seu cliente. O que quero dizer é que apropaganda tem que aparecer, fazer acontecer, e com isso chegar mais longe! Se destacar nesta área, na maioria das vezes, é o que faz os melhores resultados acontecerem para as duas partes, agência e cliente.

4. Não os faça pensar (muito)

Opa, opa, opa! Não me interprete mal. Queremos clientes inteligentes e que tenham capacidade de entender o que queremos passar. O que quero dizer, é que quanto mais prática for a forma de se entender o contexto do que você transmite, melhor será a reação do indivíduo a ela. Eficaz mesmo é fazer com que a informação seja de “fácil absorção”.

5. Cores vivas. (Mas que se harmonizam)

O bom trabalho com cores é fundamental para uma boa propaganda, mas nem sempre utilizar cores que você acha que vão “combinar” funciona. Existem vários estudos em direção de arte que mostram os efeitos que cada cor pode causar em diferentes situações, este princípio é muito ligado à psicologia também, mas antes disto é importante entender a respeito da teoria das cores.

6. Seja informativo

Toda propaganda deve transmitir uma mensagem, isto é óbvio. Não se perca em “enfeitar” muito o seu anúncio e acabar escondendo, ou dificultando o entendimento do que você está transmitindo. Ser informativo não significa que você deve trabalhar sempre com texto, a comunicação é feita de diversas maneiras

7. Destaque-se e seja memorável

Ser único e memorável são dois componentes essenciais de um bom anúncio. O anúncio deve ser único e completamente diferente de tudo, mesmo que a ideia seja remeter-se a algo já existente, ser original é fundamental!

8. Transmita um sentimento

Toda empresa tem seus princípios transmitidos por sua marca, e o bom publicitário deve saber dar enfoque a eles. O indivíduo deve poder criar toda ideia em volta da empresa a partir de qualquer anúncio de seus produtos/serviços.

9. Instigue a curiosidade

Nem toda propaganda vai direto ao ponto de primeira, é sempre interessante fazer com que o indivíduo possa criar por si próprio (obviamente pelos caminhos dados pelos publicitários) a ideia transmitida.

10. Entenda seu público

A utilização do humor, de estereótipos e até da libido pode ser muito eficaz, mas saiba com quem está falando, conhecer o seu público é a principal ferramenta para formatar suas ideias.

adaptado de fazer-euros-na-net.blogspot.pt

Anúncios

24 de setembro de 2012 at 11:27 4 comentários

20 slogans que “GRUDARAM” na cabeça dos brasileiros

A publicidade é capaz de colocar um monte de coisas legais na cabeça das pessoas. Ela cria coisas que entram para a cultura, muda/cria comportamentos e por aí vai. De tudo isso, os slogans têm um lugar guardado em nossos coraçõeszinhos rsr. Olhar uma marca e lembrar daquela frase bacana, não tem preço (não resisti!). A seguir uma lista de 20 slogans que com toda certeza do mundo grudaram na nossa cabeça ao longo dos anos.

 

20 – RedeTV! |A rede de TV que mais cresce no Brasil.

19 – Brahama | A número 1

18 – Unimed | O melhor plano de saúde é viver. O segundo é UNIMED

17 – Havaianas | Todo mundo usa

16 – Quick | Faz do leite uma alegria

15 – Rede Globo | Globo e você tudo a ver!

14 – Skol | A cerveja que desce redondo

13 – Arapuã | Ligadona em você

12 – Bombril | Tem 1001 utilidades

11 – Cheetos | É impossível comer um só!

10 – Dreher | Deu duro? Tome um Dreher

9 – Nescau | Energia que dá gosto

8 – SBP | Terrível contra o insetos! contra os insetos!

7 – Sucrilhos | Desperta o tigre em você!

6 – Tostines |  Fresquinho porque vende mais? Vende mais porque é fresquinho?

5 – Malwee | Gostosa como um abraço.

4 – Ypê | Dúvida porque, amaciante é Ypê!

3 – Analgésico Doril | Tomou doril a dor sumiu.

2 – Itaú | Feito pra você

1 – Coca-Cola | Sempre Coca-Cola.

Hors concours

MasterCard | Existem coisas que o dinheiro não compra, para todas as outras existe Mastercard

19 de setembro de 2012 at 18:35 2 comentários

Canal Viva | Anúncio bem bolado

Anúncio comemorando 1 ano do canal Viva.

1 de setembro de 2012 at 13:16 3 comentários

6 propagandas de cerveja que causaram polêmica

Nova Schin sai do ar por discriminação contra travestis

 O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) arquivou ontem uma representação da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – a ABGLT – contra o comercial “Festa de São João”, da cerveja Nova Schin. Veiculada no fim de maio, a peça foi retirada do ar logo depois da manifestação da entidade.

Evocando o universo junino, o filme mostra um homem que se apaixona por uma mulher, descobrindo em seguida que ela é na verdade um homem – motivo para virar alvo de gozação por parte dos amigos.

Em nota, a ABGLT afirmou que o personagem travestido de mulher seria ” objeto de escárnio, piada e deboche” na passagem em que o narrador diz que “de noite era Maria e de dia era João”. “O comercial da Nova Schin contribui para referendar e banalizar essa discriminação, ridicularizando a personagem travestida”, completou o comunicado. A Schincariol negou a inteção.

Cerveja em ovo de Páscoa faz Conar adverter Skol

Na última Páscoa, a Skol lançou uma campanha no Facebook para divulgar o seu “Redondinho” – um ovo de chocolate com recheio à base de cerveja.

Alguns consumidores questionaram a mensagem passada pela investida de marketing, já que os ovos exerceriam uma atração especial sobre as crianças e adolescentes, proibidos por lei de consumir bebida alcoólica. Nos filmes que promovem o produto, uma mulher aparece preparando a receita dos ovos, em que a cerveja é um dos ingredientes.

Em junho, o Conar fez uma advertência à Skol por conta da propaganda. Na ocasião, os conselheiros do órgão reconheceram que outras bebidas, como o licor, também recheavam chocolates. Além disso, levaram em conta que ao contrário de carrinhos e bonecos, os ovos não pertenciam especificamente ao universo infantil. Por isso, optaram apenas por um aviso, ao invés de banirem a veiculação da peça.

Skol incomoda argentinos, mas hermanos perdem na Justiça

Três argentinos que moram em Belo Horizonte, Minas Gerais, pediram indenização por danos morais à Ambev depois da companhia veicular propagandas que seriam preconceituosas na visão do grupo. Germàn Aníbal Filippini, Enrique Javier Romay e Jorge Adrian Vladimirsky foram à Justiça em maio de 2010, depois que a Skol colocou no ar as campanhas publicitárias “Argentinos do Samba”, “Torcida Skol – O Hermano” e “Latinhas Falantes – Hermanos dos 30”.

Tendo a última Copa do Mundo de Futebol como pano de fundo, as peças brincavam com a histórica rixa entre Brasil e Argentina. Em uma delas, inclusive, um argentino era chamado de “maricón”.

O Conar suspendeu os comerciais. Mas os argentinos quiseram ser remunerados e, para tanto, apontaram a ridicularização sofrida em bares, reuniões e até no trabalho. O Tribunal de Justiça de Minas, no entanto, entendeu que a propaganda teria sido “desenvolvida de modo positivo, alegre, reafirmando somente a rivalidade existente entre os dois países no futebol”. A decisão saiu em maio deste ano.

Festa junina e reclamação do Conar: Nova Schin repete a dose

Há quase um ano, o Conar proibiu outro comercial da Nova Schin. Veiculado em junho de 2011, o filme “Festa Junina” foi considerado inapropriado em função do uso de expressões consideradas de baixo calão pelo Conselho, como “filho d’uma égua” e “cagão”.

No filme, um repentista declama suas rimas enquanto conta a história de um jovem que teria se apaixonado pela filha de um bravo coronel.

Atores ‘novinhos’ provocam duas derrotas consecutivas para Skol

O comercial “Skol – Monstros do Pântano” utilizou atores maiores de idade no filme que mostrava três jovens bebendo cerveja e um suposto monstro atacando o grupo com o intuito de roubar uma caixa da bebida. Ainda assim, a propaganda acabou sendo condenada duas vezes pelo Conar.

Em julho, o Conselho julgou o filme e o reprovou. O motivo? Para o Conar, não basta ter mais que 18 anos – é preciso aparentar estar acima desta faixa etária. E os moços da propaganda em questão não preenchiam o pré-requisito. A Ambev recorreu, mostrando documentação que comprovava a maioridade dos envolvidos. Mas o Conar manteve sua posição em setembro do ano passado, pedindo à cervejaria que trocasse os atores da produção

Devassa é vetada com Paris Hilton como garota propaganda

Em 2010, foi a vez do Conar vetar a exibição do comercial da cerveja Devassa, que mostrava a socialite Paris Hilton dançando com uma lata de cerveja nas mãos e sendo ao mesmo tempo fotografada por um voyeur do prédio ao lado. A campanha foi ao ar no Carnaval e permaneceu por duas semanas na TV.

Os conselheiros foram unânimes em considerar o vídeo desrespeitoso para as mulheres e excessivamente sensual. Produzida pela Schincariol, a cerveja continuou causando polêmica. Depois da proibição, a agência Mood, responsável pela propaganda, criou uma peça na qual o logo da Devassa – uma mulher vestida com peças sumárias em estilo retrô – aparecia coberta com uma tarja preta.

fonte: exame.abril.com.br

30 de julho de 2012 at 17:37 Deixe um comentário

E se publicidade e propaganda não existissem?

Em um dos episódios de Mad Men, uma garota fala para Don Draper o seguinte: “Publicidade? Isso é lixo”. Ele responde tranquilamente: “Então pare de comprar coisas”.

De agora em diante acho que darei esta resposta caso venham comentar algo semelhante comigo. De vez em sempre vejo alguma pessoa reclamando de como odeia comerciais, anúncios e toda e qualquer coisa que lembre o assunto. Talvez o problema em si não seja a publicidade em si, mas a enorme quantidade de comercial “feijão com arroz” e a mania quase automática de pegar o controle remoto na hora do intervalo do programa favorito.

Já pensou como seria o mundo se a presença da publicidade e propaganda?

Pouca concorrência no mercado:como precisa de comida, roupas, calçados e outros elementos para sobreviver, existiria apenas uma ou outra empresa para cada segmento. Afinal, ninguém seria apaixonado por uma marca e compraria apenas para satisfazer suas necessidades básicas.

O mundo seria mais chato: sem motivos para anunciar, já que todo mundo sabe onde comprar o que precisa, seríamos rodeados de lojas com placas escritas “sapatos”, “supermercado” e por aí vai. Programas de TV e filmes teriam produções mais modestas, já que dependeriam das próprias pernas para se desenvolver.

Tipos de comportamento não existiriam: porque você acha que muita gente gosta de comer pipoca com guaraná? Comer pão com manteiga?

O ritmo do desenvolvimento seria menor: se ninguém teria orgulho de possuir uma camisa de marca X, porque existiriam empresas interessadas em desenvolver modelos diferenciados? Se as pessoas não são estimuladas a consumir, empresas não se interessariam em criar novos produtos para facilitar a vida delas. O lançamento de um produto não garantiria a sobrevivência deste, já que gerava lucro.

Ou seja, de uma forma ou de outra, a publicidade beneficia e influencia a todos, mesmo que você não perceba.

fonte: blogcitário

9 de junho de 2012 at 10:31 Deixe um comentário

De mictório à sola de sapato – os 10 lugares + inusitados onde já veicularam anúncios

A verdade é que está cada vez mais difícil encontrar um lugar que esteja livre da presença da publicidade. Ainda assim, algumas inserçoes de mídia conseguem surpreender. A Creativity reuniu 10 exemplos que incluem desde tampa de bueiro, faixa de pedestre e sola de sapato até canudo, mictório e sachê de catchup. Veja as imagens abaixo:

fonte: bluebus.com.br

2 de maio de 2012 at 12:18 1 comentário

10 comerciais antigos de videogame

Confesso que eu adoro vídeo game. Gosto muito e lembro dos esporros que levava da minha mãe pra largar os jogos e ir estudar rsrsr. Já tive um monte de vídeo games, um cartel de mais de 100000000 jogos jogados (olha a redundância) e já trabalhei um bom tempo como game tester.

Além do vídeo game, hoje minha outra paixão é a propaganda. Amo. Adoro. Estou apaixonado. Com exceção da miserável dessa monografia que tá me deixando todo enrolado.

Bom, brincadeiras a parte; nunca fui game tester; nem sabia o que era isso até pesquisar no google. Sim, já joguei diversos jogos (a redundância de novo) mas sempre perdi feio no futebol.

Bom, brincadeiras a parte²; passeando pela net encontrei essa lista de 10 comerciais de vídeo games (consoles) antigos e divido com a galera aqui do quase. Se vocês já tiveram ou jogaram algum desses, comenta aí….

Super Nintendo

Atari XE Game System

ATARI 2600 Game System

Vectrex Console

Atari Lynx System

Intellivision Video Game System

Magnavox Odyssey

Panasonic 3DO Video Game System

Sega Saturn Game System

Sega Master

29 de abril de 2012 at 12:14 Deixe um comentário

Cientistas revelam como criar slogans memoráveis

Com falas de filmes retiradas do IMDb, pesquisadores de Ciência da Computação da Universidade Cornell dizem ter descoberto a fórmula para criar frases de impacto

Frases de impacto podem ser tiradas dos longas de diretores como Quentin Tarantino ou George Lucas, segundo a fórmula dos pesquisadores americanos

Com uma lista de citações do IMDb, famoso site com informações técnicas sobre filmes na internet, um grupo de cientistas da computação da Universidade Cornell, nos Estados Unidos, acredita ter criado um método para entender como frases são eternizadas em slogans de publicidade.

Na pesquisa, os cientistas analisaram frases retiradas diretamente de cerca de 1000 filmes no IMDb. Com esses dados, eles identificaram que frases com pronomes pessoais (eu ou você, aqui usado como tu) e artigos indefinidos são mais memoráveis porque trazem uma noção de proximidade durante a fala. Verbos no passado funcionam para identificar eventos específicos, enquanto verbos no presente são bons para traduzir conceitos mais gerais.

O levantamento separa dois tipos diferentes de citações: frases com mudanças de sentido ou mudanças sonoras; e frases que trazem ideias mais genéricas. A frase “meio milhão de dólares podem ser perdidos”, de Jackie Brown, dá uma noção de quebra, de contradição. Já a frase “há muito tempo atrás, numa galáxia muito, muito distante”, de Star Wars, traz uma ideia genérica, que pode ser lembrada em outras situações.

A pesquisa chega até a analisar como elas se transformam em memes na internet e são difundidas no Twitter.

O estudo explica, por exemplo, porque personagens de filmes com sotaque ou falas engraçadas são mais lembrados, principalmente se as frases podem ser utilizadas em outro contexto. Por outro lado, personagens como os do diretor George Lucas são ótimos para emplacar slogans com significados mais abertos, abrangentes

A pesquisa não usa discursos de pessoas famosas, como Steve Jobs ou o primeiro-ministro Winston Churchill. Cristian Danescu-Niculescu-Mizil, Justin Cheng, Jon Kleinberg e Lillian Lee deram preferência para frases mais famosas da cultura pop, como a saga Star Trek.

fonte: exame.abril

20 de abril de 2012 at 11:06 Deixe um comentário

5 comerciais marcantes feitos por Chico Anysio

Relembre algumas das propagandas estreladas pelo humorista, que morreu hoje 23/03/2012, aos 80 anos, no Rio de Janeiro

Coca-Cola

A voz grave e a presença marcante de Chico Anysio aparecem na campanha publicitária “Coca-Cola e um sorriso”, do refrigerante americano. O filme foi ao ar em 1979.

Consul

Em um antigo comercial da Consul, Chico Anysio aparece usando somente palavras com inicial C para promover os refrigeradores da marca.

Ford

Em uma campanha da Ford exibida na década de 60, Chico Anysio aparece interpretando um de seus personagens para promover a compra de peças legítimas para os veículos da montadora.

Havaianas – com “Rolando Lero”

Em 1989, Chico Anysio contracenou com Rogério Cardoso, o Rolando Lero de seu programa Escolinha do Professor Raimundo.

Na época, o mote das campanhas da marca era “”As sandálias que não deformam, não têm cheiro e não soltam as tiras”.

Havaianas

Em 1997, foi a vez do humorista “reclamar” do texto previsto no roteiro de um comercial das Havaianas.

“Legítimas, só Havaianas”, disse Chico, para depois de alguns segundos voltar atrás: “Eu não posso fazer isso. Isso eu já fiz em 84”.

Então diz “Recuse imitações”, diz uma voz ao fundo.

“Recuse imitações eu disse em 72”

Que tal “Não deforma…”?

…”não solta as tiras e não tem cheiro, como eu fiz em 88?”, completou o humorista.

fonte: exame.abril.com.br

23 de março de 2012 at 17:13 Deixe um comentário

Justiça proíbe propaganda do HSBC

A justiça do Trabalho determinou a suspensão da propaganda “Lemonade”, do banco HSBC.

A peça publicitária mostra uma criança vendendo suco de limão à turistas e aceitando moedas de diversos países. De acordo com ação do MPT (Ministério Público do Trabalho) no Paraná, autor da ação, o anúncio é uma apologia ao trabalho infantil.

O MPT entende que publicidades como estas estão no caminho contrário de todos os esforços feitos pelo Estado para combater o trabalho infantil, estimulando que a opção para a criança é o trabalho e não o estudo.

A Justiça determinou a suspensão da veiculação do comercial, que deveria ser tirado do ar até a última quarta-feira, sob pena de multa diária de R$ 200 mil. A propaganda continua sendo transmitida.

A procuradora Margaret Carvalho disse ontem que iria informar a justiça sobre o descumprimento da sentença.

A campanha foi desenvolvida internacionalmente pela agência de publicidade JWT, veja o anúncio:

Esse MPT conseguiu a árdua tarefa de encontrar chifre em cabeça de cavalo ou, em outras palavras, cabelo em ovo. Não é possível que esse vídeo seja qualificado como apologia ao trabalho infantil.

Para o mundo publicitário que eu quero descer…

fonte: jornal metro rj 13/03/2012

15 de março de 2012 at 11:41 4 comentários

Anúncio Fry’s

Anúncio para o restaurante vegetariano Fry’s. “Alternativas em comida vegetariana”. O anúncio é legal, mas vamos combinar que uma beringela é sempre uma beringela… Os vegans que me perdoem.

fonte: marketingnacozinha.com.br

Veja também:

6 marcas que estão sacudindo as mídias sociais

As cervejas e os países

Festival de Publicidade de Cannes

14 de fevereiro de 2012 at 16:10 1 comentário

O marketing e as musas do esporte, uma combinação constante

Com o esporte possuindo um apelo maior por parte do público masculino, vemos constantemente empresas que se utilizam de belas mulheres para conquistar mais fãs e se posicionar rapidamente na mente do consumidor. Naturalmente, será o caso de um dos comerciais do Super Bowl 46, onde a empresa Go Daddy utilizou o corpo da bela Danica Patrick (Nascar) como plataforma de divulgação de um dos seus domínios. Veja abaixo!

Cada qual com sua intensidade, muitas empresas acabam exagerando no tom e pecam pelo excesso. No caso de valorizar o esporte, sem o apelo sexual, as campanhas conseguem atingir em cheio seus objetivos.  Já o excesso pode ser fundamental para campanhas de cunho viral.

Vou listar quatro exemplos em que as empresas abusaram da sensualidade de atletas, pecando ou não pelo excesso.

Serena Williams – Top Spin 4

Para promover o novo jogo da série Top Spin, a tenista Serena Williams foi utilizada na campanha da 2K Sports que pecou tanto pelo excesso, que o vídeo foi tido como proibido. Se foi para gerar buzz, sendo intitulado como proibido, conseguiu.

Arianny Celeste – BudLight

A BudLight utilizou Arianny Celeste, uma das ring girls mais famosas e populares do UFC, semi nua para promover um novo produto da cervejaria e aliá-lo ao UFC 132, evento que a empresa patrocinou e cuja predominância é do público masculino.

WTA – Promovendo o evento

A WTA utilizou de suas belas mulheres do circuito profissional de tênis para promover o WTA World Championships, torneio que reúne as oito melhores tenistas do ano. O mote da campanha era mostrar que apesar da força utilizada em quadra, elas mantêm seus status de musas da modalidade.

Whitecaps – Major League Soccer

Para promover sua estréia na liga profissional de futebol norte-americano (MLS), o Vancouver Whitecaps divulgou um viral convidando o torcedor a prestigiar primeiro jogo da equipe na liga. Para tal, pintou o corpo de uma jovem modelo com o uniforme do clube. Resultado? O patrocinador ficou muito irritado e achou o vídeo exagerado, não condizendo com a imagem da empresa.

fonte: br.esportes.yahoo.com

Veja também:

Outdoor feito a mão

De onde vem as boas ideias?

Como fazer sua propaganda funcionar | Mídia Impressa

3 de fevereiro de 2012 at 15:17 Deixe um comentário

8 filmes e 2 séries para quem gosta de publicidade

Atraente, luxuoso, cheio de intrigas? Saiba como o cotidiano da propaganda é retratado nas telas

Mad Men

Título original: Mad Men

Ano: desde 2007 (EUA)

Criação e produção: Matthew Weiner
Com: Jon Hamm, Christina Hendricks, John Slattery, Elisabeth Moss e Vincent Kartheiser

Mad Men é uma aclamada série americana que se passa na agência de publicidade Sterling Cooper, na Madison Avenue, em Nova York, no início dos anos 1960.

Em torno do protagonista, o diretor de criação Donald Draper (Jon Hamm), aparecem os demais sócios e funcionários da empresa, além de sua família. No desenrolar dos episódios – atualmente, a quinta temporada está em fase de criação e deve estar pronta para ser exibida em 2012 – um panorama social da época vai sendo mostrado, em um contexto em que preconceito racial, sexismo e cigarros são elementos do dia a dia.

A série já levou diversos prêmios, incluindo quatro Golden Globes e treze Primetime Emmy Awards. No Brasil, é exibida pelo canal HBO.

Essa série é sensacional. Bacana conhecer como funcionava a publicidade nas décadas passadas, como funcionavam os cambalachos rsrsrsrs (cambalacho ou cambalaxo?).

Trust Me

Título original: Trust Me

Ano: 2009 (EUA)

Criação: Hunt Baldwin e John Coveny
Com: Eric McCormack, Tom Cavanagh e Monica Potter

Estrelada por Eric McCormick e Tom Cavanaugh, a série norte-americana Trust Me foi cancelada pela TNT apenas uma temporada após ter começado devido aos tristes números de audiência.

O drama descrevia o universo da agência de publicidade RGM, de Chicago, em que os inseparáveis amigos Mason e Conner formam também uma famosa dupla no meio profissional. A história muda quando Mason é promovido e McGuire, não, e a amizade dos dois é colocada em prova.

Essa série é maior barato. Adoro, assisti toda ela em menos de uma semana e me garantiu algumas boas risadas…

O Comerciante

Título original: Viktor Vogel, Commercial Man

Ano: 2001 (Alemanha)

Direção: Lars Kraum
Com: Götz George, Alexander Scheer, Chulpan Khatamova, Gudrun Landgrebe, Maria Schrader, Vadim Glowna, Nele Mueller-Stöfen, Heninz-Werner Kraehamp

À procura de emprego de uma agência de publicidade, o garoto Victor Vogel cai de paraquedas em uma reunião e, ao dar um palpite, acaba sendo descoberto por uma cliente que deseja seu trabalho para novos comerciais.

Graças a uma “ajudinha” de sua namorada, Vogel cai nas graças do publicitário Edward Kaminsky, dono da agência. A oportunidade, no entanto, acaba colocando o namoro em risco por causa das mentiras do garoto.

Volta, Meu Amor

Título original: Lover Come Back

Ano: 1961 (EUA)

Direção: Delbert Mann
Com: Doris Day, Tony Randall e Rock Hudson

Nessa comédia romântica, Jerry Webster (Rock Hudson) e Carol Templeton (Doris Day) trabalham em agências de publicidade diferentes e vivem um clima de competição. Enquanto Webster ganha clientes por meio de métodos eticamente discutíveis, Carol tenta manter-se no caminho saudável da profissão.

As atitudes da personagem mudam quando, cansada de perder clientes para o concorrente, Carol resolve se vingar e recorre a um enigmático cientista, que é, na verdade, o próprio Jerry Webster disfarçado.

O filme foi indicado para o Oscar de Melhor Roteiro no ano emque foi lançado.

99 Francos

Título original: 99 Francs

Ano: 2007 (França)

Direção: Jan Kounen
Com: Jean Dujardin, Jocelyn Quivrin e Patrick Mille

Baseado na autobiografia do ex-publicitário Frédéric Beigbeder, 99 Francos traz um debate semelhante ao proposto pelo fotógrafo Oliviero Toscani no livro “A publicidade é um Cadáver que nos Sorri”.

No filme, o abuso da propaganda e a sociedade do consumo desenfreado são atacados em seis capítulos narrados, cada um, conforme um pronome pessoal ou de tratamento, pelo personagem principal, Octave, publicitário de considerável prestígio dentro e fora da agência em que trabalha.

Octave entra em uma crise depressiva e começa a usar drogas a partir do momento em que vê uma de suas ideias ser totalmente distorcida pelo presidente de uma grande firma de iogurtes atendida pela agência.

Agência de Assassinos

Título original: Agency (ui que meda)

Ano: 1981 (EUA)

Direção: George Kaczender
Com: Lee Majors, Robert Mitchum, Valerie Perrine

Um misterioso milionário (Robert Mitchum) compra uma agência de propaganda e começa a substituir todos os funcionários por pessoas que nada parecem saber de publicidade.

O personagem de Lee Majors descobre então que a intenção, na verdade, é usar propagandas subliminares para influenciar a população a votar em políticos de seu círculo de relacionamentos.

O Grande Sucesso de Rock Hunter

Título original: Will Success Spoil Rock Hunter?

Ano: 1957 (EUA)

Direção: Frank Tashlin
Com: Tony Randall, Jayne Mansfield, Joan Blondell e Betsy Drake

Para não perder o emprego e conseguir salvar sua carreira, o publicitário Rockwell P. Hunter (Tony Randall) precisa convencer uma famosa atriz e símbolo sexual da época (Jayne Mansfield) a estrelar o comercial que acaba de criar para uma marca de batons.

A personagem de Jayne, porém, quer algo em troca, e não é dinheiro. Para não virar desempregado, Rockwell P. Hunter terá de se passar por amante da estrela.

Enquanto Jayne Mansfield interpreta uma caricatura de… Jayne Mansfield, o filme traz algumas sutilezas sobre o mundo publicitário e se consagra como uma das comédias memoráveis dos anos 50.

Crazy People, Muito Loucos

Título original: Crazy People

Ano: 1990 (EUA)

Direção: Tony Bill
Com: Daryl Hannah, Dudley Moore, Paul Reiser e J.T. Walsh

Nesta sátira à publicidade, Emory Leeson (Dudley Moore) passa por um momento delicado quando sua esposa o abandona. O publicitário então, num surto de honestidade, cria uma campanha em que só se diz a verdade sobre os produtos. Charles F. Drucker (J.T. Walsh), seu chefe, acha a ideia absurda e o obriga a se internar em um hospital psiquiátrico.

O material da campanha, porém, acaba sendo impresso por engano e se torna um enorme sucesso, motivo pelo qual Leeson é chamado de volta à agência. Agora, no entanto, ele se recusa a deixar a instituição. Em meio aos loucos, encontrou sua verdadeira paixão, a paciente Kathy Burgess (Daryl Hannah), e colegas com quem cria campanhas muito mais criativas e fora do comum do que as de seu passado.

Do que as Mulheres Gostam

Título original: What Women Want

Ano: 2000 (EUA)

Direção: Nancy Meyers
Com: Mel Gibson, Helen Hunt, Marisa Tomei e Bette Midler

Nick Marshall (Mel Gibson) é o diretor de criação de uma das melhores agências de publicidade dos anos 80.

Machista, egocêntrico e dono de um charme irresistível, Nick vive convencido de que seu gênio criativo o reserva o lugar número 1 na agência. É quando é surpreendido com a chegada de uma nova chefe de criação, Darcy Maguire (Helen Hunt). Com Darcy, surgem campanhas focadas no público feminino e Nick se vê obrigado a criar ações geniais para ELAS.

No processo de tentar entender quem são essas consumidoras, como usam os produtos e o que as atrae, Marshall sofre um acidente que o torna capaz de ouvir os pensamentos das mulheres. Inicialmente enlouquecido com as centenas de vozes que ecoam ao seu redor, com o tempo, Nick vai percebendo que seu novo poder lhe traz vantagens.

Como Fazer Carreira em Publicidade

Título original: How to Get Ahead in Advertising

Ano: 1989 (Reino Unido)

Direção:  Bruce Robinson
Com: Richard E. Grant e Rachel Ward

Dennis Bagley (Richard E. Grant) é um publicitário de sucesso que vive uma rotina de jantares luxuosos em uma casa nos arredores de Londres. Em meio a tentativa de criação de uma campanha para um creme contra acne, Bagley entra em uma das piores crises criativas e pessoais de sua carreira.

Enquanto o prazo final para a entrega da campanha vai chegando e sob a ameaça de retirada da conta da agência pela empresa devido aos seguidos adiamentos, o publicitário começa a questionar a ética da profissão. Na companhia de sabão, escova e apenas um avental, Bagley resolve livrar sua casa de qualquer marca de publicidade.

Decidido a largar a profissão, Bagley se vê diante de uma incógnita quando percebe o nascimento de uma espinha gigante no pescoço. Pior, trata-se de um “monstro” falante, rude e arrogante, extremamente parecido com o publicitário do início do filme.

fonte: exame.abril.com.br

Tudo Pelo Poder

Título original: The Ides of March

Thriller político centrado na campanha de um candidato democrata à presidência dos Estados Unidos. Sthephen Myers (Ryan Gosling) é um jovem e ambicioso diretor de comunicação que não mede esforços para promover o seu candidato, o governador Mike Morris (George Clooney)

Este último foi sugestão do nosso amigo @Mahtheuz – Valeu…

Veja também:

Doe seu lixo

A moda dos comedians na publicidade

As armadilhas dos supermercados para você comprar mais

2 de fevereiro de 2012 at 00:16 Deixe um comentário

Volkswagen: 12 cães e Star Wars a serviço do Super Bowl

Teaser da campanha deste ano traz coro canino da famosa Marcha Imperial, trilha da saga

O pequeno Darth Vader da Volkswagen que fez sucesso no Super Bowl 2011 não só foi considerado um dos melhores comerciais do ano passado como ainda inspirou a marca a repetir o tema para a edição deste ano, com uma pequena mudança: sai menino, entram 12 cães.

Chamada de “The Bark Side”, um trocadilho entre a palavra “latido” em inglês e o lado negro da força – the dark side of the force – do filme, o teaser da campanha traz 12 cães em uma interpretação superafinada da Marcha Imperial, trilha da saga. Junto com o teaser, foi divulgado ainda um site-convite. De acordo com o texto, o suspense da marca deve acabar amanhã, dia 27.

Na campanha do ano passado, o veículo promovido foi o novo Passat. Para este ano, ainda não se sabe qual dos produtos da montadora será a atração.

O Super Bowl é a final da liga nacional de futebol americano, a NFL. O evento esportivo é um dos mais assistidos da televisão americana, motivo que torna o minuto publicitário um dos mais caros.

O preço pelo espaço de 30 segundos antes e durante os intervalos do campeonato chega a custar valores entre US$ 100 mil e US$ 2 milhões.

fonte: exame.abril.com.br

Veja também:

Os 10 canais mais assistidos da TV paga do Brasil

Comercial russo de sucos

Fábrica das Casas Bahia faz primeiro comercial em 40 anos

27 de janeiro de 2012 at 18:39 Deixe um comentário

Eventos crescem 43% no Brasil em 2011

Estudo do Instituto Alatur aponta para uma expansão no número de ações realizadas no setor e para a profissionalização no setor

Com o crescimento no setor, cresce também o investimento em novas tecnologias e ferramentas para mensuração

Rio de Janeiro – O número de eventos realizados pelas empresas no Brasil em 2011 cresceu 43%. É o que indica a pesquisa “O Impacto Econômico dos Eventos”, encomendada pelo Instituto Alatur, em parceria com o capítulo brasileiro da Meeting Professionals International (MPI).

Além da expansão, o levantamento aponta para uma maior profissionalização do setor, com mais investimento em tecnologia e ferramentas para medir o desempenho. O índice superou o resultado alcançado em 2010, quando a expansão foi de 41% em relação ao ano anterior. O estudo aponta ainda que, no período, foram gastos, em média, R$ 2,4 milhões por empresa.

Entre as informações apuradas, um dos destaques é o aumento no investimento em eventos próprios, como convenções, lançamentos de produtos e patrocínios de shows. “As empresas investiam em eventos de terceiros, como participação em feiras. Agora perceberam que o retorno em conhecimento que trazem para os colaboradores é muito maior quando os eventos são realizados internamente, com a própria equipe”, diz Alberto Moane, Diretor da Alatur Eventos & Incentivos, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Outra mudança que vem se desenhando há um tempo e parece caminhar para a consolidação no país é o aumento na quantidade de eventos verdes. De acordo com o estudo, 97% dos pesquisados acreditam que as iniciativas sustentáveis devem aumentar no Brasil e 74% já utilizam materiais naturais para organização das ações.

Eventos verdes

O levantamento realizado pela Fran6 Análise de Mercado com gestores de eventos de 75 empresas, com média de 13 mil colaboradores e listadas entre as 1.000 maiores e melhores do país, mostra também que 41% das companhias já realizam eventos verdes e 25% conversam sobre o tema.

“As grandes empresas têm essa preocupação e estão aplicando o conceito aos eventos. Mas senti uma grande mudança no ano passado. Normalmente, as pessoas pensam que eventos verdes ficam mais caros e, dependendo da situação, acabam até sendo mais baratos. A sustentabilidade com certeza é algo que vem muito forte em 2012”, acredita Moane.

Outra característica que vem se mostrando mais presente é a capacidade que os gestores têm tido de mensurar com mais facilidade os resultados dos eventos, o que no passado era um verdadeiro desafio. As ações estão cada vez mais planejadas: 89% das empresas possuem diretrizes para busca de savings e 26% já utilizam o sistema Return On Investiments (ROI) para eventos corporativos como um todo.

Aumenta o planejamento

Em 74% das companhias, os eventos são organizados a partir dos setores de Marketing, comunicação, viagens ou o próprio departamento de eventos. O setor de compras, no entanto, colabora no processo em 57% das empresas pesquisadas, com o poder de decisão em apenas 6%.

Em relação ao número de eventos, cada companhia realiza anualmente, em média, 18 de pequeno porte (com 10 a 50 pessoas), 19 de médio porte (51 a 250 pessoas) e 12 grandes eventos (250 pessoas ou mais). Exposições, salões e stand em feiras lideram o ranking, com 42%, seguidos por confraternizações (40%) e treinamentos/workshops (33%).

As empresas também vêm aumentando o investimento em tecnologia. Atualmente, 65% já utilizam novas ferramentas para reuniões e eventos e realizam treinamentos para utilização das mesmas (57%), como promoção de reuniões virtuais/híbridas (71%), sistema de telepresença (55%), avaliação do ROI das mídias sociais (29%) e uso do holograma nas reuniões (14%).

O nível de planejamento também vem expandindo, mas ainda está longe do desejável. “Aqui no Brasil, os eventos se realizam com pouca antecedência, uma média de três meses. Mas isso tem melhorado, antigamente era muito mais rápido. Houve um crescimento entre 2009 e 2011 e a tendência é que os dias de planejamento aumentem. O ideal seriam seis meses”, ressalta Moane.

fonte: exame.abril.com.br

Veja também:

Um comercial bem bolado

Anúncios Desencannes

Quem toma conta dos publicitários

25 de janeiro de 2012 at 11:15 Deixe um comentário

Posts antigos


Top of Mind

Nosso contato

quasepublicitarios@gmail.com

Envie suas dicas
Compartilhe seus trabalhos
Sugira algum conteúdo
Tire suas dúvidas
Solicite uma parceria

Quase recomenda blogs

Frase da vez

"O melhor jeito de ser mais atento e menos ingênuo, é ler demais e assistir de menos."

Satre Júnior

Verbetes da vez

COPIÃO - Primeira seleção montada das cenas - filmadas - de um comercial, para análise e decisão final sobre a montagem ou edição. (Ver Edição e Montagem)

COPY - Texto, em inglês. Termo utilizado para definir o texto de uma peça publicitária.

COPYRIGHT - Direito legal de propriedade de um texto, frase, livro, obra de arte, música ou qualquer outra forma de expressão.

Slogans da vez

Brahama - A número 1! / Refresca até pensamento!

Unimed - O melhor plano de saúde é viver. O segundo é UNIMED.

Quick - Faz do leite uma alegria.

Anúncio da vez

Shopping Piracicaba

All Type da vez

Clique para aumentar

Material Esportivo

Garoto propaganda da vez

Tony the tiger

A marca da vez

Clique com a roda do mouse

Hugo Boss

QUASE no facebook

Adicione o QUASE no orkut

QUASE no Twitter

Siga o QUASE no twitter

Quase no YouTube

Acompanhe o canal do QUASE no youtube

Posts anteriores

Pérolas da vez

Aluno diz: - profª, podemos fazer um intervalinho; Profª responde: - é, é o filme uma linda mulher. Pode alugar que é bom.
***
Profª diz: Estão vendo este slide? Então, isso é o coração; isso é o bonequinho da oi (apontando para o bonequinho da vivo).
***
Profª diz: Os publicitários devem ser como detetives. Igual aquele detetive "Xerox Holmes" --> Juro que ela falou isso!
***
Prof diz: Semana q vem traz um vídeo do Super Bowl, um vídeo em Jpeg. VÍDEO EM JPEG??? Ai Pai altíssimo. Qta ignorância.
***
Prof. diz: Vamos fazer uma votação pra escolher o melhor jingle. Qual vocês preferem?
Turma responde: Quais os jingles que tem?
Prof. diz: - Só um.
Turma responde: Ué, então vai fazer votação pra que?
***
Prof informa: "Pessoal, não dá pra imprimir branco"
Aluno 1: "Ué, mas e se eu quiser..."
Aluno 2: "E se eu levar na gráfica..."
Aluno 3: "Ué, mas tem um cartaz aí na parede com letras brancas."
Aluno 4: "Mas e se..."
Prof interrompe: "Gente, o branco é o do papel"
Aluno 1: "Mas e se o papel for verde, tem como?"
Aluno 2: "O prof. a parede é branca."
Prof interrompe (meio puto já): "A parede não passou na impressora né?"
***
Prof pergunta: "Quais os 4 P's do marketing"
Aluno responde: "Compras, Comércio, Causas, Cidade"
***
Prof pergunta: "Digam um local no Rio de Janeiro em que morem pessoas da classe A".
Aluno responde: "Brasília"
***
Aguardando o próximo King Kong

Já passaram por aqui:

  • 1,909,313 QuasePublicitário(a)s

Vagas pelo Twitter

@CiadeTalentos - Oferece vagas para jovens profissionais, principalmente para trainees.

@michaelpagebr - Oportunidades para executivos de média e alta gerência.

@asapexec - Recruta profissionais de diferentes funções e mercados.

@vagas - Oferece vagas e dicas sobre cursos.

@DMRH - Trabalha posições com alto grau de complexidade. Portanto, é para profissionais mais experientes.

@job4dev - Oportunidades no mercado de TI.

@vagasnaweb - Oferece estágios e empregos para os profissionais de web.

@EmpregoBrasil - Vagas para profissionais de todos os níveis.

@elancers_net - Site de recrutamento, divulga empregos e publica notícias.

@PCIconcursos - Divulga empregos, estágios e o calendário de concursos públicos.

@curriculumvagas - Anuncia empregos para os mais variados níveis e funções em todo o Brasil.

@link_zero - Oferece vagas para jornalistas.

@frilas - Vagas para projetos específicos e temporários nas áreas de comunicação, publicidade e tecnologia.

@publicijobs - Informações sobre freelances e empregos que possam interessar aos mais variados tipos de profissionais da área da Comunicação.

Twitters das agências

Agência Fischer+Fala!
@FischerFala

Agência Talent
@TalentProp

Agência Loducca
@AgenciaLoducca

Agência DPZ
@dpzpropaganda

Agência Young & Rubicam
@YoungBrasil

Agência Ogilvy
@OgilvyPRBrasil

Agência Almap BBDO
@AlmapBBDO

Agência Lew,Lara TBWA
@LewLaraTBWA

Agência JWT
@JWT_Brasil

Agência Bullet
@blogdabullet

Agência F/Nazca
@fnazca

Agência DM9DDB
@DM9DDB

Agência Click
@agenciaclick

Agência África
@agenciaafrica

Quase é notícia

Quem curte o QUASE…


%d blogueiros gostam disto: